segunda-feira, 25 de abril de 2011

de mil rosas fostes a ultima, se ainda sobreviveres até lá!
teu tudo ainda é nada
não é que não tenhas valor meu bem, é que teu valor não serve para este mundo,
de cores mórbidas,e sorrisos pérfidos
de desalmados malamados!
ego que sucede o erro!
quem poderás dizer que não avisei? 
dorme,e finje que amanhã será diferente, 
finje...
  dormes! 

Um comentário: